quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Quando tudo for absurdo. Fique surdo para o desnecessário. Cego para as impossibilidades e mudo para as murmurações. Deixe o tempo falar por si. Foi assim que amadureci. __________________________ Noemi Prates

"De todos as cores, vermelho.
De todas as flores, gérbera.
Quando tudo era dor, ela aprendeu a ser flor!
Ora toda noite antes de dormir.
E nunca esquece de agradecer pelas bonitezas do dia.
Agradece também pelo que é feio, mas engrandece.
Acredita que o sofrimento enobrece, mas nem sempre, porque prefere o caminho mais fácil.
Põe o pé direito pra fora da cama primeiro. (nem sempre)
Herdou algumas supertições, além do riso fácil e do olhar ágil.
Está sempre apressada e atrasada.
Fala mais com as mãos, que com a boca.
Pensa mais rápido que fala e quase não fala o que pensa.
Aprendeu a ser comedida.
Tropeçou muitas vezes no caminho.
Já se apaixonou pra sempre.
Já morreu de amor.


Não acredita mais em príncipe encantado, mas torce pra que lhe provem o contrário todo-santo-dia."


D.A