quarta-feira, 30 de março de 2016

Das coisas que me orgulham muito: carregar comigo o peso e a leveza das minhas escolhas. A mulher que me tornei é mérito das vezes que tive de ir, mesmo querendo ficar; e das vezes que fiquei, quando na verdade eu deveria ter ido. ________________________ Bibiana Benites

Claro que houve tempestade, mas como 
tudo que nos causa dor na 
na vida, esperei passar...

......

.......

Quanto mais vivo percebo nuances transformadoras, de mulher vibrante em seus atos, Para uma mulher ponderada e sensata. Há uma aprendizagem em saber ouvir e respeitar. Faz aluguel do coração para armazenar um pouco de tudo, Ainda assim, não desfaz de sua liberdade e autonomia. Bens indissolúveis, bem administrados sem inventário futuro...É o tempo que ainda disponho, para fazer o que mais me dá prazer. Os outros? Que me respeitem, pois traço sóbrios limites. Uso filtro detector de indesejáveis...Alto é o grau de 'desconfiômetro': permissividade? Apenas, a contemplação do direito alheio, Até porque, sei o que, como e com quem quero... De cara e alma limpas, sou honesta e direta. Merecemos todas nós, Mulheres com ‘M’ maiúsculo, Dignidade, Igualdade e Gentilezas humanas. Não esmolamos carinhos, mas Integridade. 

Célia Rangel

domingo, 27 de março de 2016

"Se és poeta entende, casa é ilha e seu amor é travessia!" ____________________________ Hilda Hilst


Essa é a missão da poesia:
recuperar os pedaços perdidos de nós.

| Rubem Alves |
Eu sou carinhosa, não do tipo que fica ligando de meia em meia hora, isso já é loucura. Gosto de mostrar que me importo nas pequenas coisas. Uma surpresa aqui, um sorriso acolá. Nada digno de sair na capa da Veja, mas o bastante para agradar o coração que me deseja.


Noemi Prates.

sexta-feira, 25 de março de 2016

Uma mulher exuberante estava mergulhada até o talo na vida louca: noite sim, noite também, sua casa luxuosa recendia a litros de bebida e sexo de má qualidade. Para os brutos, um paraíso; para aquele coração delicado de mulher, uma prisão, pois ela sentia a mesma sede de amor que eu e você sentimos. _______________________________ Stella Florence

Monica Bellucci interpretou Maria Madalena
 em Paixão de Cristo.

Feliz Páscoa!
Quando qualquer mudança já lhe parecia impossível, um homem sábio, de passagem por sua cidade, fez uma palestra que ela assistiu embevecida. Uma intensa sensação de acolhimento tomou conta de sua alma e fez com que aquela mulher, apesar da rejeição social que a cerceava, tentasse conversar particularmente com o sábio. Tão cansada, tão linda, ela se ajoelhou diante dele e confessou não saber como recomeçar, como conhecer a si mesma, como crescer. O mestre, emanando aceitação e doçura, sintetizou o caminho: “O amor cobre uma multidão de pecados”. A partir daquele dia inesquecível, Maria de Magdala (ou Maria Madalena) se tornou a mais humilde, determinada e fiel discípula que Jesus Cristo jamais teve. Enquanto os homens dormiam em seu medo, Madalena acompanhou o último suspiro de Jesus. Enquanto os homens dormiam em sua perplexidade, Madalena foi cuidar do cadáver do mestre. Enquanto os homens dormiam em sua preguiça, Madalena viveu em primeira mão o que viria a ser o símbolo máximo da vida após a morte: o encontro com Jesus redivivo. Após aqueles dias vertiginosos, ela seguiu os apóstolos até a Galileia, pedindo que eles a aceitassem em um dos vários grupos que pregariam a boa nova. Um a um, eles se recusaram a levá-la, temendo sua má fama do passado (ou, quem sabe?, apenas invejando a força espiritual daquela mulher). Sozinha, Madalena trabalhou pelo seu sustento. Certo dia, um grupo de leprosos chegou à cidade de Dalmanuta procurando Jesus (sem as redes sociais, as notícias demoravam a se espalhar). Ela então os reuniu sob as árvores da praia e os encheu de esperança em dias melhores. Madalena os acolheu como filhos, eles a aceitaram como mãe. Expulsos pelas autoridades locais, os leprosos tiveram de seguir para o vale imundo em Jerusalém. Madalena foi com eles. Não demorou até que ela visse em sua pele as primeiras manchas violáceas. Decidida a rever Maria de Nazaré, Madalena se despediu emocionada de seus filhos do coração e viajou, a pé, até a cidade de Éfeso. Com o corpo já coberto de chagas e quase inconsciente, ela chegou ao seu destino. Poucos dias depois, Madalena sentiu um grande alívio. Parecia que estava de volta àCafarnaum, sob as árvores, a espera do mestre. De repente, ela vê Jesus Cristo se aproximar, mais belo do que nunca! Madalena tenta se ajoelhar, mas ele a impede, recolhendo-a, luminosa, em seus braços: “Maria, já passaste a porta estreita... Amaste muito! Vem!”. Que nesta Páscoa, nós, mulheres modernas, nos lembremos de Maria Madalena: uma mulher que de enfrentou preconceitos ferozes apenas para amar, amar muito.


[Stella Florence]

Republicado (04 de abril de 2015)

quinta-feira, 24 de março de 2016

❝ Não deixe as coisas boas adormecerem em você. Convide suas ternuras para passear... ❞ _____________________ (Rafaela Bueno )

Podando meu jardim hoje a tarde!
❝ Outono me faz lembrar que mudo as minhas folhas, mas nunca as minhas raízes. Que passo por estações, mas deixo as minhas sementes. Que o vento que me balança também espalha o meu perfume. ❞   (Joelma Rocha )


Meu limão, meu limoeiro..

quarta-feira, 23 de março de 2016

"Tentava sentir baixinho, mas o amor fala alto mesmo quando silencia." _________________________ Ana Jácomo

Não invento nada; simplesmente sou a 
mensageira das minhas sensações". 

(Emil Cioran)
Pede o espírito uso de vocabulários para expressar suas dimensões;onde o amor quando expresso nas letras deveria fazer a convocação aos esquecidos contornos de nós. Aí está a beleza da linguagem, trazer-nos sem entregar-nos a realidade das coisas. Entretanto, o amor como palavra tornou-se gasta pelo abuso romântico das carências que nela se apegam e nela costuram promessas, roteiros e cenários. Torna-se o amor na literatura chave gasta que nenhuma porta abre, embora dele tanto se fale porque a palavra ocupa-nos provisoriamente o vazio a que o real amor cumpre ocupar. Ocupamo-nos com os reflexos. Amar-nos entre os capítulos permite certas seguranças ainda que o verbo a conjugar seja frágil. A linguagem é veste que solicita às essências ser por inteira desnudada, sendo por esta razão, inclusive, a seiva dos enganos, a distrair-nos em seu próprio mundo permitindo-nos pelo descuidado, caminharmos para sempre nos círculos da lógica que não se aproxima o coração. Um utilitário pretexto para enfeitarmos as superfícies e os enganos, não tocando o lugar onde sentimos nem alcançando verdade de onde emanam os nossos próprios significados. O amor confessa no silêncio o que nas palavras esconde. O silêncio é a renúncia da palavra que no amor se rende. A vida, tal qual o próprio amor, residem nas reticências que anunciam todas as possibilidades de nós...


Guilherme Antunes

segunda-feira, 21 de março de 2016

Ela seguia como se não fosse doído. Mas a verdade é que ela assumia, toda noite antes de dormir, que a dor a dilacerava silenciosamente por dentro. _________________________ Rachel Carvalho

Sonhar é um modo de mentir à vida,
uma vingança contra um destino
 que é sempre tardio e pouco.


Mia Couto.
Eu te odeio. Odeio sentir essa saudade. Odeio sentir qualquer coisa por ti. Eu nem deveria escrever nenhuma palavra sequer sobre você. Eu odeio pensar como seria seu beijo, na verdade odeio imaginar como ele seria bom, odeio como minha boca não sabe querer outra coisa. Odeio sua boca perfeita. Odeio seus olhos e como eles hipnotizam qualquer um. Odeio lembrar deles olhando pros meus lábios e me convencendo ao que você quisesse. Eu odeio o que você conseguiu fazer comigo. Eu odeio saber que isso não é ódio. Que ódio! Não é ódio.

- Rachel Carvalho

domingo, 20 de março de 2016

Caem as folhas. Há no entanto um consolo, o vento ergue-as um pouco e antes que toquem o chão são borboletas. _____________________________ Líria Porto

Renovar para crescer
Não percebi a chegada do outono. Mas eu sentia que estava embarcando numa nova estação: todas as árvores que (não) plantei, de repente, estavam nuas. E eu caminhava num tapete de folhas e flores. Os caminhos também se estreitaram e tive uma sucessão de perdas, ou melhor, tive uma sucessão de trocas. E assim, como toda pessoa que tem um coração pulsando, fiquei assustada demais com as mudanças. Mas agora já consigo perceber beleza na nudez de cada uma das minhas árvores prediletas. Elas apenas estão trocando de roupa enquanto eu troco de pele, tamanha cumplicidade. Então, quando bate a ansiedade e meu coração taquicardíaco começa a doer, ponho a mão nele e digo a mim mesma: “Obrigada por, pelo menos, poder sentir que não estou sozinha”. Porque eu não perdi uma estação, eu perdi a mim mesma e agora me sinto como um prédio que foi demolido e está sendo reconstruído, tijolo a tijolo novamente. E esse processo é muito difícil, mas acho também a experiência mais bonita que uma pessoa possa vivenciar. Toda reforma, é para fazer melhoras e, algumas coisas, por não poderem ser recuperadas, terão de ser substituídas. E a gente se apega demais a tudo. Pois estou tão disposta às reformas, mesmo que isso inclua marretadas no meu coração logo pela manhã, bem cedo...'


sábado, 19 de março de 2016

A gente vive certo porque errou um dia. E silencia quando entende que todas palavras foram ditas. Porque de vez em quando, aquilo que conserta é aquilo que cala ou ausenta. O nada que diz tudo. Quando o verbo é equívoco, o silêncio é corretivo. ______________________ Fabíola Simões

Ser forte pode ser algo muito solitário.

Filme Emma Smith
O cansaço de todas as ilusões e de tudo que há nas ilusões - a perda delas, a inutilidade de as ter, o antecansaço de ter que as ter para perdê-las, a mágoa de as ter tido, a tristeza intelectual de as ter tido sabendo que teriam tal fim. A consciência da inconsciência da vida é o mais antigo imposto à inteligência.
(Bernardo Soares)

sexta-feira, 18 de março de 2016

Antes que venha o Inverno e disperse ao vento essas folhas de poesia que por aí caíram, vamos escolher uma ou outra que valha a pena conservar, ainda que não seja senão para memória... __________________________ Almeida Garrete


A vida afetiva é a única que vale a pena.
A outra apenas serve 

para organizar na consciência o
 processo da inutilidade de tudo.

Miguel Torga.
Ventava muito naquele dia mas medo, ela não tinha, nasceu do vento, era parte dela era como um amante, um prenúncio de liberdade. Aliás, ela deveria ter nascido com asas para com o vento voar, mas como, se é um ser humano disfarçado de anjo? Uma pena, pois só os privilegiados podem ver suas asas do mais puro cristal. Asas reveladas no sorriso de criança na maneira de falar com tanta pressa, dispersa... Asas que estão no olhar de menina romântica que estão na alma que não cansa do silêncio que canta. Tudo culpa do vento, que toma todo seu tempo... Não, ela não sabe voar com o vento mas alça vôos imensos através das palavras das entrelinhas, das reticências, das adjacências do amor, nas causas da dor. Tudo está onde deveria estar, tudo no seu devido lugar e mesmo que ela ainda não saiba, não precisa voar, pois tem o vento no seu tempo de dentro. Na escuridão da noite, no brilho das estrelas, na magia da lua ela é anjo, ela é catavento, ela é farol, faça chuva ou faça sol.


quinta-feira, 17 de março de 2016

"E eu habitarei nos lugares mais secretos da tua memória. Baterei na porta de cada saudade tua. Até que todos os teus sonhos, te falem de mim." ______________________ Mauro Bompadre

"(...)  Sós com a nossa loucura e a flor preferida, vemos que não há mais nada sobre que escrever. Ou antes, é preciso escrever sobre as mesmas coisas de sempre, do mesmo modo, repetindo vezes sem conta as mesmas coisas, para que o amor continue e a pouco e pouco vá mudando. Colmeias e formigas têm de ser eternamente reexaminadas e a cor do dia aplicada centenas de vezes e variada do verão para o inverno para que o seu ritmo desça ao de uma autêntica sarabanda e ela aí se feche sobre si mesma, viva e em paz. Só nessa altura a cronica desatenção das nossas vidas nos poderá envolver, conciliadora e com um olho posto naquelas longas opulentas sombras amareladas que falam tão fundo para o nosso mal preparado conhecimento de nós próprios, máquinas falantes dos nossos dias."



John Ashbery

quarta-feira, 16 de março de 2016

"Você é a única herdeira do conhecimento daquilo que as cachoeiras querem ensinar às nascentes, antes, no berço da mina sumarenta, do despencar das gotas." _______________________ Fernando Coelho

Ela vive em um barquinho de
 esperança em meio a um mar de incertezas.


— A pequena flor
...Inventamos memórias. Atravessamos silêncios. Abrimos sorrisos. Trocamos as conversas. (A vida mudou de lado, mudou o ângulo.) Escolhemos novas estações e eternidades. Amamos outras frases. Construímos abraços. Continuamos, sobretudo, com o peito arranhado, batendo na mesma frequência de ontem. Você se reinaugura com alguma alegria. Transforma. Lateja. E fica. Você não passa. O Amor ainda coleciona infinitos. 


Priscila Rôde

terça-feira, 15 de março de 2016

"Para bom escritor, meio sentimento arrasa." — _________________________________ Thiara Macedo.

De tempos em tempos,
é preciso parar de sentir demais.

— Relatos de uma desolada.
O problema é que amor e felicidade sofrem da mesma sina. São inflacionados, acima de tudo incompreendidos e costumam não ser reconhecidos quando estão presentes. Por natureza, eles são discretos, deixam-se estar, suaves, dispostos a um bom papo. Mas em geral são ignorados. Depois de um tempo, partem incógnitos. Os que não souberam reconhecê-los sequer têm motivo para lamentar por isso, a ignorância protege.

Diana Corso, psicanalista.

domingo, 13 de março de 2016

Por causa dos segredos de sua alma, a minha Maria chorou. Encheu os seus olhos com um rio nu. Maria está magoada depois que o espelho do dia revelou dores de cordilheiras solitárias, distâncias sem coração, ermidas batendo em suas dúvidas. Somente a imensidão do mar alivia a imensidão das dores de Maria. O meu mar, em prantos, lhe devolve a sua lua como uma lagoa de esperança no céu. E só. Amo Maria. ____________________________ Fernando Coelho​


Livre-se de amores mal resolvidos, 
experiências não vividas e
 momentos facilmente esquecidos (...)
não há desculpa no mundo que justifique um
 coração que ama sem coragem.
 Se apega porque o ambiente para fumantes sufoca,
 mas não sentir sufoca muito mais.
__Najara Gomes



Com o tempo você descobre que estar disposta e disponível é a coisa mais rara de se encontrar em meio a um mundo de tantos desencontros. Começo a compreender, a cada dia novo que me chega, que estar disposta significa se abrir ao mundo sem receio de que algo dê errado. Significa ser e estar inteira diante de qualquer situação, mesmo aquelas que tem grande potencial de nos encolher perante nós mesmos. Estar disposta é ser receptiva ao novo, é quebrar tudo o que nos atrasa em pequenos pedaços e com eles construir algo que nos eleve e nos acrescente, como um degrau invisível de possibilidades. Estar disposta é tirar o espaço dos medos interiores para dar lugar a mais sonhos frescos, desses que enchem nossos olhos de vaga-lumes. É acreditar mais e sempre em tudo que nos emociona e alimentar o amor próprio que começa dentro de um abraço longo que devemos dar em nós mesmos. Estar disposta é não fechar as janelas e as portas, ainda que o vento esteja forte e a tempestade insistente. É um querer estar presente, um querer estar contente, a ponto de ser até incoerente diante das adversidades da vida. E estar disponível é abraçar a disposição que se apresenta na sua totalidade, é seguir de braços dados com todo encantamento que nos faz voar, sem tirar os pés do chão. 

★ Lilian Vereza

sábado, 12 de março de 2016

Aprenda a deixar ir, este é o segredo da felicidade. _____________________ Dalai Lama

"Tô precisando de um carinho,
 de uns beijinhos.
De uma promessa que se cumpra."
A arte de perder não é nenhum mistério, tantas coisas contém em si o acidente de perdê-las, que perder não é nada sério. Perca um pouco a cada dia. Aceite austero, a chave perdida, a hora gasta bestamente. A arte de perder não é nenhum mistério. Depois perca mais rápido, com mais critério: lugares, nomes, a escala subsequente da viagem não feita. Nada disso é sério. Perdi o relógio de mamãe. Ah! E nem quero lembrar a perda de três casas excelentes. A arte de perder não é nenhum mistério. Perdi duas cidades lindas. Um império que era meu, dois rios, e mais um continente. Tenho saudade deles. Mas não é nada sério. Mesmo perder você (a voz, o ar etéreo, que eu amo) não muda nada. Pois é evidente que a arte de perder não chega a ser um mistério por mais que pareça muito sério.*











*Elizabeth Bishop é uma autora americana, considerada um das mais importantes poetas do século XX a escrever na língua inglesa. Em 1976, foi a primeira mulher a receber o prêmio internacional Neustadt de Literatura e continua sendo a única americana a recebê-lo. Em 1952, depois de uma viagem pela costa brasileira, Elizabeth encantou-se pelas montanhas de Petrópolis e lá permaneceu por quinze anos. 



sexta-feira, 11 de março de 2016

Um beijo e o teu nome. A saudade sendo desconstruída e o amor preparado de silêncios. Olhos próximos e firmes: eu te amo e as tuas aflições. Este cuidado, baby, é poesia sem pontos que fiz pra você. Observa. Absorve. E só." ____________________________ Dan Cezar

 Assovia o vento dentro de mim.
" Desisto antes de conhecer o fim. Não antecipo a dor: Evito. Quero apenas o beijo e não os lábios. Quero abraço e não estar nos braços. Quero o que ninguém me rouba. Quero o que não parte. Quero o que não me arde, mas me deixa na febre. "

____________________ 

Cáh Morandi.




quarta-feira, 9 de março de 2016

“Ouça um bom conselho que eu lhe dou de graça: inútil dormir que a dor não passa.” _____________________________ Chico Buarque

Será que quando o coração está escuro 
de saudade é por que vai chover ternura?
| Inêz Generoso |
"A moça queria tudo. Queria entender os mistérios do tempo e desvendar suas fases. Os motivos dos tombos, as certezas das escolhas, as lágrimas de estafa. Não percebia as transições, julgava os dias iguais, não enxergava as respostas tão óbvias preocupada demais com os dias de amanhã. Não entendia que fases foram feitas pra passar."





Yohana Sanfer

*Trecho da crônica "O que as ondas podem ensinar",

do livro Da boca pra dentro

terça-feira, 8 de março de 2016

Todos os jardins deviam ser fechados, com altos muros de um cinza muito pálido, onde uma fonte pudesse cantar sozinha entre o vermelho dos cravos. O que mata um jardim não é mesmo alguma ausência nem o abandono... O que mata um jardim é esse olhar vazio de quem por eles passa indiferente. __________________________________ [Mario Quintana - A Cor do Invisível, 1989]

A vida não nos poupa arranhões.
Ela não deixa escapar um suspiro sequer.

Bibiana Benites
Você sabe que eu não sei o tom do seu azul. Mas parece que nele, sempre chove. Deve ser de propósito, haja vista, você conhecer minha predileção pelas águas, pelos líquidos sentimentos que são os mais frágeis e os mais fortes, os que vencem as pedras sem que elas sequer percebam. O que eu não sei é lidar com essa alternância. Pedra. Agua. Pedra. Agua. Pedra. Duais. Laterais. idimensionais. Excepcionais criaturas que na mistura são iguais. Falo de tudo  que me compõem dos pés às minhas tantas mentes que se alternam entre realidades, paralelos, fantasias, caos, cais, porto sem mar, mar sem areia, areia sem sal, sal sem alimento, comida sem fome, fome sem você, você e minha fome, tua fome que me quer, Silenciar turbilhões sentimentais é luxo que não nos cabe. Embora seja um luxo poder se dar ao luxo de divagar o inexistente como se a dor fosse real, poder fazer do pranto sua língua quando nada te molha, te falta, poder perambular madrugadas como se tudo fosse nada, e fazer verso, e reverso, e entregar-se à prosas sem nexo, tudo em nome de que... Em nome de que, quem sabe, Uma novidade avassaladora. Uma escapada no tempo. Paciência é advento do que há de vir, o que faz o verbo sorrir, acontecer, porque é disso que deveria se tratar toda palavra, toda rima, toda menção, todo refrão, tem que ser musica, e tem que tocar, e tem que abrir uma coisa alucinante no coração, algo que seja identificável, inegável, irrevogável, algo que supere, ou então sente e espere o próximo trem chegar á estação.

Be Lins

"Deus que a ama demais, moldou toda a sua vida exterior... A fim de levá-la a tornar-se a linda mulher que Ele planejou que fosse...

Dia Internacional da Mulher

Img: Arquivo Pessoal

segunda-feira, 7 de março de 2016

E quanto a você meu amigo galvanizado, você quer um coração, não sabe como tem sorte por não ter um. Corações nunca serão práticos até que inventem um inquebrável. __________________________ O Mágico de Oz

O Estado De Espírito Em Que Você Adormece
Determina O Seu Amanhã.
Joseph Murphy
Ele tinha os pés na estrada, menino-homem-pássaro, era aficionado por abismos. Tinha um par de asas que buscavam sempre novos ventos, novas paisagens, novas passagens. Sofria por ser grande, aprendera com Manoel de Barros a importância das coisas insignificantes. Sonhava com passarinhos e girassóis. Às vezes era azul. De vez em quando era pedra, mas na maioria dos dias, flor. Chovia por dentro quase todas as noites, mas não tinha medo do sal. Cultivava um arco (na) íris. Sorria sempre que podia: sol-riso. Iluminava, embora gostasse do escuro. Era transparente e misterioso, chegava a ser estranho, mas era simples. Tinha percepção aguçada para borboletas e era devoto do amarelo.Tinha saudade e afeto ilimitados. E uma angústia sem nome que o consumia. Cantava, ainda que desafinado. Um dia leu um poema sobre a Pasárgada e foi embora "ser amigo do rei". Desde então começou a ter febres e só melhorava quando escrevia. Dizem por aí que perdeu a razão, pegou doença de doido. Acho que foi mordida de poesia. In-felizmente, não há cura.



(Wendel Valadares)







domingo, 6 de março de 2016

''O que sentes, revela o rumo para onde te diriges. O que pensas, te aponta o lugar em que te encontras. O que falas, indica o que sabes. O que fazes, mostra quem és. '' ____________________ Emmanuel

Silencie seu coração e
ouça o que ele tem a lhe dizer.
Quero começar esse texto te dizendo que você não precisa sentir pena de mim. Não me imagine chorando, nem sentada num quarto escuro. Estou vestindo roupas coloridas, apaixonada pela minha vida e pelas pessoas que nela habitam, cheia de planos pro futuro. Mas, ainda sim, vez por outra, me pego triste. Aquela melancolia que chega no domingo à noite, saudades dos amigos que eu tive, vontade de ficar naquela posição fetal pra chorar melhor. E tudo bem. Tudo bem ver o mundo com efeito sépia, tudo bem querer ouvir César Camargo Mariano, sentir os olhos encharcarem com o rasgo que o Damien Rice faz no meu peito. Está tudo bem. O mundo não se tornou um inferno porque prefiro a tristeza. A alegria me deixa efusiva, tagarela, sufocante, mesmo pra mim. É como se o contraste do mundo fosse alterado e tudo estivesse colorido demais – no primeiro olhar é encantador, mas depois se torna cansativo. Chego aos fins dos dias exausta na alegria e em paz na tristeza. Adoro ser alegre, mas me aproximo mais de mim na tristeza. A alegria me deixa tola, superficial. Alegria me faz gritar, quando a tristeza me sussurra. Na alegria danço samba, gargalho alto, não deixo meu sorriso guardar. Na tristeza bebo uma taça de vinho e me deixo emocionar por uma poesia cheia de rimas (não importa se pobres). Não tenha preconceito com a tristeza. Nem toda tristeza é infelicidade, nem toda tristeza é preta e branca. Tristeza é estado de sensibilidade extrema para bem e para mal, é conseguir se colocar no lugar do outro como na alegria nunca é possível. Na alegria não conseguimos entender a nada nem a ninguém. Prefiro gente triste. Gente triste é mais profunda porque a tristeza é um mergulho nos seus próprios medos, desinteresses e vontades. Gosto de gente que também é feliz quando não está alegre. Porque essa gente é aquela que percebe que não dá pra viver uma vida de Instagram o tempo todo, que opijama às vezes é mais valioso do que um vestido de luxo e que todo mundo tem medo. Tá vendo como a tristeza é bonita? Tristeza é pra dentro, alegria pra fora. Uma dá vontade de viver e outra vontade de contar. Uma é o encontro consigo mesmo, outra com os outros. Então porque temos vergonha da tristeza e orgulho da alegria?Ser triste não deveria ser o contrário de ser feliz, mas de ser alegre. Eu prefiro ser triste, porque assim sou mais feliz.


sábado, 5 de março de 2016

O que te faz grande, moça? As cicatrizes do caminho que me vestiram de aprendizado e os sorrisos que jorram de minha alma em agradecimento. Todos os dias. _________________________ Romara Magalhães.

Arquivo Pessoal
Venho de um mar revolto que não me dava descanso, um gosto de sal na garganta e uma sede, em meio a tanta água. Venho cansada da luta. E a minha sede era de água e paz. Eu não procurava um pouso porque já tinha o meu próprio – que pode não ser macio nem mágico, mas tem o meu cheiro. Eu procurava o que não sei. Procurava parar de procurar. E já vinha desacelerando a busca, numa desistência doce. Era a paz que eu procurava. A paz que me sorri bem puro. A paz que não é tédio. Que dá colo pra descansar, mas também é capaz de surpreender e fazer o coração bater forte, a circulação aumentar, o corpo se sentir vivo. A paz que atormenta. Paz que é um ponto. Que é chegar em casa sorrindo. Uma insônia boa. Certeza que não mata. Saudade que revela. Que é quando a imperfeição encontra lugar confortável em nós. É sentir no outro uma semelhança macia. Saber um pouco do que vai no outro, sem saber quem é o outro. Estou apaixonada por uma tempestade suave em mim.

Cris Guerra

sexta-feira, 4 de março de 2016

" A madrugada podia ter a malicia dos teus olhos." __________________________ (M. Wellintong)

A existência é um sopro na eternidade...
....


....

Ligia Guerra
"Ela é cheia de sentimentos, parece que suas experiências se manifestam é no dorso do seu colo, e quase sempre, de vez em quando, tudo isso pesa. Mas não tem modo, não existe maneira que a faça ser diferente. E ainda, graças a Deus, ela é diferente. Algo que pesa e que tem o dom da leveza, algo que chora e que se manifesta em sorrisos, algo de forte, mas que se desmancha quando encontra a água."



Clarice Lispector

quarta-feira, 2 de março de 2016

"Mas se o tempo der, posso avarandar seu tédio." __________________________ D.A.

Porque sou aquilo
que toca minha Alma.


- Khalil Gibran
Acredito nos olhos de quem está apenas observando, aprendendo, sem julgamento. Acredito que existe um lugar para mim, assim como existe lugar para todo mundo. Porque existe lugar para todo mundo. É só procurar. Eu acredito. Acredito no tempo. O tempo é nosso amigo, nosso aliado, não o inimigo que traz as rugas e a morte. O tempo é que mostra o que realmente valeu a pena, o tempo nos ensina a esperar, o tempo apaga o efêmero e acaba com a dúvida.

| Caio Fernando Abreu |