quarta-feira, 31 de agosto de 2016

"Eu ensino amor. Permita-se, eu digo, seja livre dos conceitos alheios e encha o peito de verdades." ___________________ Verônica H.

Ventava ao norte, sorria ao sul, brilhava a oeste e renovava-se ao leste. Vinha de grandes tempestades e amanhecia de noites serenas. Tinha um brilho do sol e brancura da lua. Respirava a beleza das palavras e as tecia pelo tempo. Ganhava da vida toda pintada de flor, sendo assim ela perfumava os dias, exalando amor. E Perdia-se, por se achar demais, envolvida em suas linhas mal traçadas, escritas nas folhas das árvores, só esperando que o próximo vento a levasse.



Patrícia Rocha

terça-feira, 30 de agosto de 2016

Amor é o que chamo de mar, é o que chamo de água... ________________________ Olga Savary

Eu gostaria de parar de pensar no inexplicável. Olhar, sentir e deixar fluir, pois não dá para decifrar pessoas o tempo todo e procurar entender o coração de quem não tem as respostas para me dar. Eu não tenho soluções para os meus afetos, talvez eu nem saiba como construir um amor. Vivo na inconstância do sentir e procuro mergulhar na escuridão das minhas incertezas. São enormes os buracos que a carência faz, gera expectativa sobre o sentir do outro. Quem somos nós para desvendar o afeto alheio? Pobres carentes cheio de devaneios e incertezas. Se o coração permanecesse tranquilo e atento ao que lhe acontece, quem sabe assim ele pudesse desaguar os seus mistérios com mais tranquilidade.



Denise Portes

sábado, 27 de agosto de 2016

Diz a lenda que o poeta Li Po afogou-se na noite em que embriagado quis agarrar a Lua sobre o lago. É lenda, bem se vê. Pois a verdade é que a Lua teria seguido o poeta a qualquer canto se ele apenas a tivesse chamado. _______________________________ Maíra Souzaem

Assim que anoiteceu, saiu para pescar. Peixes não, estrelas. Afastou-se da casa, atravessou um campo até o seu limite. Na linha do horizonte, sentado à beira do céu, abriu a caixa de frases poéticas que havia trazido como iscas. Escolheu a mais sonora, prendeu-a firmemente na rebarba luzidia.  Depois, pondo-se de cabeça para baixo, lançou a linha no imenso azul, deixando desenrolar todo o molinete. E, paciente, enquanto a Lua avançava sem mover ondas, começou a longa espera de que uma estrela viesse morder o seu anzol.
 
 
Maíra Souzaem

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Ela não é solitária mas ama profundidade e nos lugares profundos não existe muita gente. _________________________ Zack Magiezi

Cheguei à janela e olhei para o céu, um movimento que faço várias vezes até sentir o meu dia concluído e esperar a vinda do novo. Entendi, de repente, porque gosto tanto da noite, desde sempre: pelo silêncio dela. Eu sei que o silêncio pode ser ameaçador. Sei que muitas vezes põe pra tocar, no volume mais alto, músicas que nossos sentimentos cantam e que falam de coisas que a gente nem sempre quer ouvir. Mas o silêncio é também alimento. O silêncio é também descanso.



Ana Jácomo

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Eu queria que você soubesse que me atenho ainda às reações aceleradas, pulsantes, profundas. Que me soubesse tua. Mesmo depois do tempo frio, dos ventos fortes, das tempestades. _______________________ Érica de Paula

Eu queria que você soubesse que te sinto. Ainda te sinto todas as tardes, como em papel cravado, apertado entre o feitiço e a quentura, bruxa boa que fui. Eu queria que soubesse que retornei aos encontros nos dias de angústia, que lembro para não morrer ao mar, que teimo em procrastinar teus olhos outra vez, por proteção. Eu queria que me soubesse o mesmo vento perfumado que te trouxe pra perto, a mesma caligrafia, a mesma entrega em sentir. Eu queria mesmo que soubesse que ainda estou aqui, que ainda estamos juntos, que moramos num daqueles romances de Shakeaspeare, Romeu e Julieta das urgências, já ouviu falar? Eu queria que me soubesse presa em teus olhos, válvula, escape, curva, batida, veneno e cura, bonita, despenteada, espalhada em roupas pelo chão. Eu queria que me soubesse tua ainda.

 Nada mais.



Érica de Paula

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Se for pra trazer paz, entre sem bater...


O caminho é de flores,
é de borboletas, passarinhos,
bem te vis, girassóis,

e nesse caminho eu fico de perto.
Namorando. Do verbo “completamente feliz”. O que faz com que todas as outras coisas fiquem em outro plano. O que torna tão diminuto tudo que não é esse instante. O que tem me feito sentir a brisa e o furacão, a ternura e o desejo, o inverno e o verão. O que me dá um referencial de dimensão,de importância, de grandiosidade, e, me desculpe, o que tem tornado minhas palavras antigas pequenas.Muito pequenas."

Solange Maia

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Ela ostentava um olhar sincero. Sua alma era amorosa. Agia com sensibilidade e carinho. Queria cuidar e ser cuidada. Tinha tudo o que aprisionava e tudo o que lhe fazia voar... ______________________ Andradices

" Para tudo há um tempo determinado, sim, há um tempo para todo assunto debaixo dos céus: tempo para nascer (uma nova vida) e tempo para morrer (a tristeza que insiste em ficar); tempo para plantar (a esperança) e tempo para desarraigar o que se plantou (o medo); tempo para matar (a saudade) e tempo para curar (a dor); tempo para derrocar (a angústia) e tempo para construir (sólidos sonhos); tempo para chorar (de emoção) e tempo para rir (de verdade e com vontade); tempo para lamentar (tudo que não foi) e tempo para saltitar (com a esperança do que será); tempo para lançar fora pedras (que podem nos machucar) e tempo para reunir pedras (e construir pontes para o amor); tempo para abraçar (forte, bem forte...) e tempo para manter-se longe dos abraços (desde que seja bem curto); tempo para procurar (sempre!) e tempo para dar por perdido (nunca.); tempo para guardar (no coração os sentimentos nobres) e tempo para lançar fora (os nocivos); tempo para rasgar (os registros de tristeza) e tempo para costurar (as lembranças dos momentos felizes até formar uma colcha de retalhos...); tempo para ficar quieto (e ouvir ) e tempo para falar (eu te compreendo.) ; tempo para amar (todo o tempo desta vida) e tempo para odiar (Não vale a pena); tempo para guerra (só se for de travesseiros) e tempo para paz (que está no interior de cada um de nós!)."
Norma Marques Malvino-  Eclesiastes 3:1-8

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

"Em francês, “amour” significa o par de meias macias que um estende ao outro ao perceber que seus pezinhos estão esfriando." __________________________ Rita Apoena

Ele está ali, preenchendo espaços, completando a alma, quentinho e suave, cheirando a rosas, dançando com a brisa do mar, assoviando com o vento que traz a primavera, lindo como o verão que logo em seguida também chegará. Tão sutil. Uma utopia eu diria, se não tivesse nome, olhos castanhos e uma barba charmosa que me roça o rosto e me faz gargalhar com a alma. Eu tento o definir, me aproximo com dois passos, ele me escapa três. Eu o observo atenciosamente, ele me embaralha os olhos, só pra fazer charme. Eu quero desvendar mistérios, ele tira um coelho da cartola. Eu quase chego lá, ele me faz voltar ao início. Amor é isso: não se capta, não se explica, não se enquadra, não se mede, não exige definição alguma, tentar defini-lo é limitá-lo. Sendo assim, pouca coisa sei sobre o amor, mas uma certeza que tenho é que o amor nada tem a ver com limitações. O amor acontece. E só. 

(Kamila Behling)



Pausa para um descanso. Volto loguinho!

domingo, 7 de agosto de 2016

Aquela música, as urgências, a chuva, o tempo, o vento (...) _____________________________ Érica de Paula

Ser feliz é o maior afrodisíaco que existe.
Você só passa por esta vida uma vez.

Não Vai Ter Bis.”

Elvis Presley
 
"Te amar assim, moreno, é coisa minha. Nunca precisei de declarações aos soluços e de entregas completas, dispostas a descansar meus desassossegos pra passear as certezas de uma vida toda em caminhos incertos. Tuas meias palavras já viravam as fantasias ao avesso, bastavam. Teus silêncios cantavam a poesia dos meus dias, vezenquando perturbavam a calmaria, me fazia procurar em casa todo amor que você esquecera de escancarar, o amor que havia de estar perdido num canto, nas entrelinhas do que você não disse. Mas eu não encontrava, moreno. Na minha busca por reciprocidade vi uns sonhos perdidos, daqueles que sonhei pra-por nós, ainda cheiravam a riso, o riso teu de menino que não sofre, nem sente pelas ilusões que foram todas perdidas. Você maldoso ia levando nos braços minhas intenções floridas de amanhã, largando comigo o melhor beijo que não te beijei e a palavra mais bonita que não permiti enfeitar seu rumo. E voltava tranquilo depois com o infinito, que cabe em poucas horas, grudado nos olhos. E eu que perdi o jeito de entristecer acolhida na tua mansidão, te sorria o meu melhor bom dia. Te amar foi só. 'Só' de eu sem você, 'só' de nada mais."

|Natália Rocha





Ser feliz é o maior afrodisíaco que existe.

Você só passa por esta vida uma vez.

Não Vai Ter Bis.”

Elvis Presley

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Está frio, mas o que me incomoda mesmo, é o inverno dentro das pessoas. ✭ Eliana Conti

A gente arruma o quarto, a casa e a vida para a pessoa que chegar não encontrar a bagunça que existia, toda a bagagem pesada de decepções e frustrações. Arruma o peito para que se torne um abrigo seguro, abre a porta e a pessoa entra devagar, quase sem fazer barulho. O peito oco, só ouve os sons do eco ao pisar no chão. Vai conquistando o espaço, vai se ajeitando em um canto até que ocupe todo o nosso peito.É assim que as pessoas entram na nossa vida, como quem não quer nada, como quem está só de passagem. E você com medo, com receio do que pode acontecer se ela bagunçar tudo que, com muito trabalho, você organizou. Mas deixa ficar, só porque ainda tem fé e esperança no amor. Naquele amor novo, quentinho de todo início. Vem o esforço da conquista, o cuidado e todo o carinho. E você fica pedindo baixinho:- Que só dessa vez dê certo, só dessa vez seja diferente, só dessa vez fique.Mas a gente tem que aprender que não existe o pra sempre. As pessoas ficam na nossa vida o tempo que precisam ficar, tudo com algum propósito. Se não é benção, é lição. Por isso que temos que viver cada dia como se fosse o último, cuidar e demonstrar o quanto pudermos, porque nunca sabemos quando será o último beijo, a última mensagem de boa noite, o último abraço, afeto e carinho. Eu não sei lidar com o fato das pessoas saírem da minha vida. Aceitação demora. É difícil! Por mim, eu as colocava em um potinho ou segurava pela perna. Amarrava no pé da mesa ou trancava a porta pra elas não irem embora. Mas as pessoas são livres por natureza e, a maior liberdade é quando a pessoa pode ir, é livre e ainda assim escolhe ficar ao seu lado. Escolhe você entre todos os milhares de ninhos que existem no mundo. E ser escolhida por alguém é a melhor parte da reciprocidade. Eu não espero ser escolhida e nem escolho. Na hora certa todo passarinho encontra o seu ninho. Mas seria maravilhoso que me escolhessem, afinal eu nunca fui a pessoa que escolhem, sempre fui a que é deixada de lado. No entanto eu não deixo isso me atormentar, porque eu me escolho todos os dias e esse é o meu maior ato de coragem. Sigo a vida como quem vive um dia por vez, com o coração na mão e os sentimentos a prova. E se quer saber? Não me arrependo de nada, sempre fico com a sensação que da minha parte eu tentei de todas as formas. E agir com o coração é você ser sincera consigo e com o outro. Quem quiser usar a razão que use, mas quem usa nunca vai sentir as borboletas que habitam o meu estômago a cada vez que lembro com carinho de um sorriso, aquele mesmo sorriso que deixou os meus olhos brilharem e aquela voz que arrepia cada parte do meu corpo. Por alguns tempos as borboletas voam, mas em outros elas voltam e fazem morada dentro de mim. É o ciclo de conhecer e desconhecer pessoas. Entra alguém e sai alguém. Entretanto eu queria mesmo era alguém que ficasse. Que ficasse por mim, por um nós, pelos planos e toda uma vida que se idealize em viver ao lado de alguém. Escolher alguém, entre tantos, é o maior ato de coragem.

♡ Luana Kimbelly

terça-feira, 2 de agosto de 2016

"...Só não se perca ao entrar no meu infinito particular."

Arquivo Pessoal
Então o inverno vai se ajeitando na gente. Ou a gente vai se acomodando no inverno da vida. Ameno tempo. De silêncio e manhãs geladas. A gente só aprende mesmo é com a idade. Que a ordem das coisas não é proporcional às vontades. A vontade é própria. Resta é o se ajeitar. Ao frio. À fome. À saudade. Às pequenas grandes rejeições, frustrações, com mimos de toda espécie de delicadeza que nos faça seguir ao sabor desta força que sopra e comanda, e só avança. Avançar. Abraçar o que há. Há de ser o que de melhor houver. E se não for bem daquele jeito, arranja-se um jeito de se, novamente, se ajeitar. Se aninhar nas sensações. Pro frio, o agasalhar. Pra fome, o alimentar. Pra saudade, o suspirar. Pra o que não foi, o imaginar. Para o que pode ser, o esperar. E para todo resto, o viver. Catando folha pro ninho ser o mais quentinho que der. E se não der, esperar o dia em que há de ser. Porque é o que a gente descobre. Prestando atenção. Tem tanto mundo lá fora, passando perrengues de toda ordem, e indo, seguindo o ritmo das estações, das condições, das aflições, e da pequena comemoração do entardecer de mais um dia ter nos permitido ser. Ser o que somos na medida em que vivemos. Em que habitamos este chão, e sobretudo, nosso próprio chão. Habitar-se. Ajeitar-se. E para o frio de dentro, canções. Para a fome de dentro, talvez o cultivo das melhores intenções. E sonhos. E desejos de que tudo avança. E a gente se esbarra. Com novidades. Com surpresas. Com sustos, ou sortes, com tristezas e alguma cura, com saudades e o capricho dos acasos, com o choro, e com a calor do consolo, que vem de singulares menções. Uma troca aqui, outra acolá, uma boa noticia, gente junto, gente que pensa junto, sintonias, inconscientes que se aproximam, instigam, te levam pra frente, ainda que frente seja o destino, o Universo, e todos os versos que ainda hão de rimar, outono com sono, folhas caídas com esperanças renascidas, murchar com aguar, entristecer com acontecer, idas com voltas, quedas com cascatas, águas com flores lilases, e caminhos com beijos, e beijos com trechos de alguma canção que não foi feita pra ser esquecida. A vida, essa menina sabida que tem por mania nos lembrar que só o que importa é achar, um dia por vez, um bom jeito de se ajeitar. Nas estações.
 
Be Lins

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Amar é coragem. É lançar-se no abismo do Outro, aos incalculáveis enigmas da vida e da morte. Amar é também reconhecer o próprio desamparo. Precisar. Amar é acreditar que a vida, sob o prisma da diferença, pode ser mais bela e colorida. Mas não sem desafios e desilusões, pois amar é sim, lutar pelo que se ama. _____________________ Taona Padilha

Se amo mais do que deveria? Longe disso. Afinal, não vejo o menor sentido em controlarmos o amor. Se ele é livre por definição, qualquer tentativa de controle seria apenas uma ilusão. Uma tolice. Quem desejaria amar menos? Seria renegar a própria vida. Ainda assim, algo é óbvio. Sempre podemos desejar esquecer um alguém específico. Mas essa não é uma questão de intensidade. É uma questão de direção. “Onde despejar o amor?” Bem, a resposta é simples: evite desperdícios. Não adianta querer deixar de amar. Seguiremos amando. Não adianta querer deixar de sentir. Seguiremos sentindo. O segredo então é perceber quando estamos investindo algo tão valioso sozinhos. Em relações tão ausentes de recíprocos. Não perdemos o nosso excesso. Somos feitos disso. 

Matheus Jacoob