domingo, 31 de maio de 2015

Não adianta. Sonhos só nascem de parto normal. Quando tentamos forçar as coisas, nascem cicatrizes. Deixa acontecer naturalmente. Largue o fórceps da pressa e abrace as dores que precedem a glória. Sempre há contrações na alma antes de uma vitória. Noemi Prates.

Sabe aquela dor profunda? Parecia o fim do mundo. Mas, passou. Dessa vez não será diferente. Daqui a pouco você segue em frente, e se surpreende mais. Quem anda olhando pra trás, tropeça, perde o foco e ainda se atrasa. Mesmo doendo, anda. Mesmo chorando, manda a tristeza embora. Vai chegar a sua hora. E quando ela chegar, eu juro que irá se esquecer do que lhe faz sofrer agora.

Noemi Prates.




quinta-feira, 28 de maio de 2015

“você diz que frequentemente sente essa loucura. O que é que você faz quando ela se apodera de você? Escrevo poesia. A poesia é loucura? A não poesia é loucura.” _____________________________ Charles Bukowski

"Permita que eu feche os meus olhos, pois é muito longe e tão tarde!
Pensei que era apenas demora, e cantando pus-me a esperar-te.
Permita que agora emudeça: que me conforme em ser sozinha.
Leva um tempo mas a gente aprende
 que amar é mesmo coisa pra fortes.

Camila Lourenço
Há uma doce luz no silencio,e a dor é de origem divina.
Permita que eu volte o meu rosto para um céu maior que este mundo,
e aprenda a ser dócil no sonho como as estrelas no seu rumo"


Cecilia Meireles

quarta-feira, 27 de maio de 2015

"E não se esqueça de que a Terra gosta de sentir os seus pés descalços e de que o vento anseia por brincar com seus cabelos." __________________________ [Khalil Gibran]

A coisa mais imotante do mundo
é sabermos como pertencermos
a nos mesmos...
Estou há dias procurando o porquê desse meu disparate: porque gosto dos barulhinhos da humanidade. Porque a vida é um absurdo sempre que me sento para tomar café. Para registro dos desacontecimentos. `Porque não acredito em verdades. porque mesmo com tantas terças-feiras por aí, domingos sempre teimam em dar as caras. porque não me conformo. Porque gosto de cinema. porque já cacei tatu-bola. Porque procuro praticar a existência. porque avião é uma espécie de trem futurista que “conhece atalhos perigosos”. `Porque existem Chico Buarque e Manoel de Barros. Porque os faróis dos carros da Consolação deslizam ligeiros no teto do meu quarto escuro. Para topar com uma nota musical. Para contornar esquinas. para usar caneta Bic. Porque seria uma janela se não fosse humana. Porque tem máquinas de refrigerante espalhadas nas estações de metrô. porque um beijo pode ser triste, interminável e paradisíaco. porque descobri que Deus não cochila. Porque existem poetas nas mesas dos bares.
Porque quero dobrar minha escrita fragmentada. porque casais de namorados discutem em plena faixa de pedestres. Porque a tarde cai em todas as cidades. Porque importuno as minhas memórias. porque tem palavras que não se usam mais. Porque as coisas têm segredos. Porque sempre acho que me repito. Porque um dia é insuficiente. Porque roubo histórias. Porque reparo em minhocas. Porque a morte é coisa simples. Porque tenho gosto pelas desimportâncias. Porque o meu corretor ortográfico não reconhece a palavra “desimportâncias”. 


Maria Casadevall

segunda-feira, 25 de maio de 2015

Que os abraços espantem os medos e aquietem corações aflitos. _______________________________ [Marcely Pieroni Gastaldi]

"Porque é mais fácil quando
 as coisas são impossíveis." 

Fabrício Carpinejar
"Eu não sou tão forte quanto eu previa, nem tão fraca quanto eu temia. Não tenho o passo rápido como eu gostaria, nem paraliso como poderia. Aprendi a me equilibrar nos extremos. Se não tenho o direito de escolher todos os acontecimentos, posiciono de acordo com os fatos. No final, o que me move não é forte o suficiente pra me derrubar, mas é intenso o bastante pra me fazer ir além."


___ Fernanda Gaona

sábado, 23 de maio de 2015

Mas a ti quero olhar-te até estares longe do meu medo, como um pássaro no limite afiado da noite. _________________________________ Alejandra Pizarnik

Ambos sabemos que do outro lado das palavras de coragem és guria assustada, e sabes tanto quanto eu que felicidade não entra em gaiolas, mas tu passaste a caber muito bem nelas. Ganhaste asas nas letras, mas na vida desaprendeste a voar. Mergulhas nas imensidões da literatura mas és escrava dos medos ao voltar para casa. Conquistaste as palavras e os outros com teu charme, mas não a ti mesma. Enquanto falas, sem perceber confessas o que não tens como se tivesses, e o que não és como se fosses. Querida, venho por meio desta, desmascarar-te um pouquinho desta tua pose de boa moça. Permita-me analisar tua poesia como o teu oculto desespero, diagnóstico que farejo entre as muito bem construídas frases que versam pretensa liberdade que prescreves aos outros. Por isto, este recado é para ti, moça prendada nas receitas para qualquer dos males da tristeza, mas que ainda não tomaste qualquer remédio; que apenas multiplicas enganos com outros muito bem arrumadinhos.Tu ensinas sem nunca ter usado a lição. Tu que não escolhes o inteiro por medo de seres inteira e enfrentar os amanhãs. Tu que moras confortavelmente com tuas angústias mas não queres o incômodo de desalojar ninguém da vida, e nem do peito. Tu que vendes certezas e compras mais dúvidas do que suportas. Tu que carregas nome tão bonito mas atendes pelo sobrenome da fraqueza. Tu que esperas da sorte, do acaso, do outro e até das conjunções planetárias alguma facilidade para ganhar vida nova, fingindo não saber que não se ganha uma, mas se conquista. Pois é, eu vejo muito bem você. Permita-me querida, desmascarar-te ao tempo em que me desmascaro também.
(Guilherme Antunes)

quarta-feira, 20 de maio de 2015

"Vai passar. Você nem vai perceber quando isso acontecer. Hoje vai ser difícil, no entanto convenhamos: não são todos os dias os nossos preferidos; respire devagar, tenha pressa somente em se alegrar, deite seu corpo e levante sua alma pois amanhã vai ficar tudo bem." _______________________________ Márcio Rodrigues




Para nós todo o amor do mundo.”
— Los Hermanos.
........

...........
Não percebi a chegada do outono. Mas eu sentia que estava embarcando numa nova estação: todas as árvores que plantei, de repente, estavam nuas. E eu caminhava num tapete de folhas e flores. Os caminhos também se estreitaram e tive uma sucessão de perdas, ou melhor, tive uma sucessão de trocas. E assim, como toda pessoa que tem um coração pulsando, fiquei assustada demais com as mudanças. Mas agora já consigo perceber beleza na nudez de cada uma das minhas árvores prediletas. Elas apenas estão trocando de roupa enquanto eu troco de pele, tamanha cumplicidade.




| Marla de Queiroz |

terça-feira, 19 de maio de 2015

No meio do amor tinha uma imprecisão, uma vaga, uma dúvida, uma entrega, uma questão... _____________________________ Ita Portugal

Ânsia essa de amar!!!
Por mais que eu tente, algumas coisas não encaixam, não combinam, não emplacam no meu cotidiano. Não me convence o sertanejo por mais que seja culto e universitário. Não me convence e principalmente não altera o meu projeto pessoal para viver bem, as infinitas mensagens positivas. Também é praticamente dispensável a ideia que a cor do gato me traga azar. Pobre bichano que não tem culpa de ser da cor de jabuticaba e levar a carga do dia azarento. Não me convence o excesso ciúme em nome do amor. Não acho que a lua tenha culpa nos romances. Nem que a distância pode separar quem se ama. Não acho que o sorriso resolva tudo, muito menos que o cartão de crédito descarte o stress e se o fizer trará um maior no final do mês, quando chegar a fatura. Não me convence a ideia de que ninguém muda. Pelo menos de casa, de trabalho, de amor, algum dia na vida, a gente muda. Dar a outra face não me convence da bondade e pior é dar a cara a tapa e achar que não dói. Insistir, não me convence de que vou conseguir. Eu te ligo depois, também não me convence de que vá acontecer. Fazer o bem sem olhar a quem, é outra coisa duvidosa pois a gente sempre olha o destinatário. Não me convence de que o raio não caia após o trovão. Que a internet não aproxima as pessoas. Que há apenas um jeito para viver.Não me convence quem não se rende a um olhar carinhoso. Não me convence que chorando vai passar, as vezes nem matando passa. Não me convence o santo de casa. O tarda, mas não falha. A moda não me convence. A tendência também não. A falta de sonhos, pior ainda. Não me convence quem não sente falta da comida da mãe. Dos conselhos do pai. Do afago do irmão. Não me convence quem não tem saudade da infância. Juro por tudo que é santo, que promessa não me convence da confiabilidade. Promessa é cheque pré- datado. Não me convence o vou ali e já volto, dito pelo namorado. Também não me convence a mentira, a falta de confiança, as simpatias para prender quem se ama. não me convence o preconceito de quem não respeita todas as formas de amar. Não me convence o pedido de perdão de quem insiste no erro. Não me convence o ditado popular que diz: quem ama o feio, bonito lhe parece. Quem ama o feio, ama mesmo o feio. E que se respeite isso. Não me convence os relacionamentos onde não temos liberdade. Não me convence de que o amor não dói , que a traição não machuca, que o adeus não entristece. Não me convence o “vamos ser apenas bons amigos”, quando ainda há uma tonelada de amor no coração do outro. Não me convence quem diz para um atleta que o importante é competir. Não me convence quem diz não gostar de MPB. Quem não valoriza a história. Quem nunca curtiu os Beatles.Quem nunca cantou maluco beleza. Quem não teve um ídolo. Quem não sonhou ser protagonista de um filme romântico. Não me convence quem não chorou ouvindo uma canção. Quem diz que nunca teve um amor platônico. Não me convence quem nunca assumiu que detestou Matemática, mas caiu de amores pelo professor mais bonito da escola. Não me convence quem diz que nunca saiu escondido da mãe. Quem nunca teve vontade de sair de casa,mas mudou de ideia logo em seguida. Não adianta me dizer, pois não me convence essa coisa de ficar no lugar do outro para sentir as mesmas dores, ou dizer eu sei o que você está sentindo. Ninguém sabe da dor ou alegria do outro. Ninguém pode inverter os papeis e tomar o lugar que não lhe pertence apenas para saber o tamanho da dor.Infelizmente não temos essa grandeza de espírito. Cada um possui suas reticências. Cada qual com seu ponto final. Não me convence o caos após a morte. Deve haver algum lugar para a continuidade da vida, da alma ou seja lá do que for e por favor nem tente vir me avisar. Deixe no mistério para ver no que vai dar. Não me convence que Deus não é brasileiro. Que o Rio não é lindo e Cristo Redentor abraça a todos. Que o nordeste não é bom de se viver. Homens iguais, não me convencem. Falta de diálogo, pior ainda. A paz sem ação não me convence. A coragem sem o ato não me convence. Sem poesia, sem música, sem alegria, sem integridade, sem esperança, sem fé, sem amor, a vida não me convence.


Autor: Ita Portugal

segunda-feira, 18 de maio de 2015

Os poetas são aqueles que, em meio a dez mil coisas que nos distraem, são capazes de ver o essencial e chamá-lo pelo nome. Quando isso acontece o coração sorri e se sente em paz. _________________________ D.A.

 
Há uma história do escritor Franz Kafka (1883-1924), famoso por “A Metamorfose“, “O Processo” e “Carta ao Pai“, que mostra um singelo e doce lado do autor que já foi descrito como esquizóide, depressivo e anoréxico nervoso: uma história de amor em que ele ajuda uma menina desolada pela perda de uma boneca em uma praça de Berlim. A história tem algumas versões e abaixo seguem uma delas (traduzidas para o português): da terapeuta americana May Benatar, que ouviu da psicóloga e instrutora de meditação budista Tara Brach, publicada no site The Huffington Post, “Para mim essa história traz duas sábias lições: a primeira que tristeza e a perda são presentes mesmo para uma pequena criança, e a outra que o caminho para a cura é ver como o amor volta em outra forma”, diz May Benatar, cuja narrativa segue abaixo. A história de Kafka e a menina que perdeu sua boneca em Berlim, segundo May Benatar: “Franz Kafka, conta a história, certa vez encontrou uma menininha no parque onde ele caminhava diariamente. Ela estava chorando. Tinha perdido sua boneca e estava desolada. Kafka ofereceu ajuda para procurar pela boneca e combinou um encontro com a menina no dia seguinte no mesmo lugar. Incapaz de encontrar a boneca, ele escreveu uma carta como se fosse a boneca e leu para a garotinha quando se encontraram. “Por favor, não se lamente por mim, parti numa viagem para ver o mundo. Escreveu para você das minhas aventuras”. Esse foi o início de muitas cartas. Quando ele e a garotinha se encontravam ele lia essas cartas compostas cuidadosamente com as aventuras imaginadas da amada boneca. A garotinha se confortava. Quando os encontros chegaram ao fim, Kafka presenteou a menina com uma boneca. Ela era obviamente diferente da boneca original. Uma carta anexa explicava: “minhas viagens me transformaram…”. Muitos anos depois, a garota agora crescida encontrou uma carta enfiada numa abertura escondida da querida boneca substituta. Em resumo, dizia: “Tudo que você ama, você eventualmente perderá, mas, no fim, o amor retornará em uma forma diferente”.

Por Nando Pereira: A LENDÁRIA HISTÓRIA DE KAFKA E A MENININHA DA BONECA PERDIDA EM BERLIM: PARA ONDE VAI O AMOR QUE SE PERDE?

sábado, 16 de maio de 2015

Hoje na solidão ainda custo a entender como o amor foi tão injusto pra quem só lhe foi dedicação. | Chico Buarque |

Me mande mentalmente coisas boas.
 Estou tendo uns dias difíceis
.........

.............................
Caio F.
Das escolhas inapropriadas que fiz no improviso do desespero descobri o quão forte eu era. Máscaras não me convenceram e com o passar do tempo o que era tão certo, acabou sendo tão imprudente. Difícil permanecer quando o peito se embola em nós cegos. Difícil conter a vontade de sair quando mais nada se encaixa. Você tenta se convencer que logo ali na frente tudo vai se acertar, mas com o passar do tempo, você se vê diante dos desmoronamentos. Respirar é quase luxo. Você engole a seco o que te sobra de juízo e vai. Caindo e levantando, mudando a letra e decorando o caminho. Você vai tentando se encontrar entre uma beirada e outra, tentando resgatar a coragem que deixou adormecer em outro lugar. Das escolhas inapropriadas que fiz descobri o quanto que eu estava certa. Não foi desistência, foi sobrevivência.


Por Marcely Pieroni Gastaldi

sexta-feira, 15 de maio de 2015

… era uma tarde como qualquer outra, vivida a bordo de seu universo particular… ____________________________ @tatikielber

Arquivo Pessoal
"No meu pla­neta natal não há muito a dizer, a memó­ria é coisa curta, a con­versa directa ao assunto e, tal­vez por isso, os habi­tan­tes andam quase sem­pre sor­ri­den­tes e pouco zan­ga­dos. Nada, ou quase nada, lhes lem­bra tris­teza por­que não se lem­bram de quase nada; e por­que não dei­xam que as pou­cas pala­vras que usam (por sabe­rem pou­cas) lhes enre­dem os pen­sa­men­tos em para­do­xos e con­tra­di­ções; a maior parte deles, dos pen­sa­men­tos, não são gran­des e sole­nes, como os dos super-homens e mulhe­res daqui, são antes peque­ni­nos pen­sa­men­tos e por isso pen­sa­men­tos muito livres e feli­zes. Mas a grande dife­rença entre este pla­neta e o meu pla­neta natal é a memó­ria. Os habi­tan­tes do meu pla­neta natal têm pouca memó­ria. Quiçá por serem menos pro­li­xos, por terem menos léxico, no meu pla­neta natal cita-se pouco. A memó­ria, coisa a que nada escapa, é outro dos super­po­de­res deste pla­neta. No meu há menos memó­ria, inventa-se mais. Inventam-se vidas, his­tó­rias, pas­sa­dos. É um pla­neta onde não há His­tó­ria, só há fic­ção. Todos os dias a His­tó­ria é dife­rente, rein­ven­tada".

Do Escrever é triste de Rakan Ben Zolof 25, codinome Pedro Bidarra

terça-feira, 12 de maio de 2015

Quem quiser calmaria não invente amar. _______________________ Fermando Coelho

o amor 
que arrebata
maltrata
retrata
e volta
e vai
e fica 
e quer 
e não quer 
é só 

o amor 
que arrebata 
maltrata 
retrata 
e volta 
e vai 
e fica 
e quer 
e não quer 
entender 
a saudade 
do cheiro 
de um ontem. 

Dan Cezar

segunda-feira, 11 de maio de 2015

" - Senta um pouco e descansa, princesa! Você já correu tanto. Senta e respira fundo. Para um pouco pra conversar Comigo, pra ouvir o que Eu digo: Vai dar tudo certo. Já deu, querida! Já deu! Deus me convidou docemente pra ouvi-Lo." ____________________________________ (Rachel Carvalho)

"As sementes que teus braços plantam, serão logo flores.
O suor do teu trabalho não será em vão.
Ela foi encontrada!
Quem? A eternidade.
É o mar misturado
Ao sol.

[Arthur Rimbaud]
Os bons ventos vêm aí, acredite!
E trarão boas novas. E aliviarão."


Rachel Carvalho

sábado, 9 de maio de 2015

Abençoadas sejam todas as mães! Desejo um coração apaziguado! _________________________ Sandra Jucá

Arquivo Pessoal
"...Você sabe o que é amar e ser traída, o que é ter as asas cortadas sem que você possa ao menos lutar, sabe o que é forjar um cajado e se levantar cheia de amargura, o que é jogar injustamente a raiva em alguém, o que é se arrepender, sabe o que é amar de novo e ser amada – não por um homem. Porque nos instantes silenciosos que antecedem as grandes dores, havia uma mão de mulher a te sustentar. Nos abismos das suas mais fundas decepções, uma mão de mulher te acolheu. E ao dar a sua própria mão a outra mulher, talvez a uma menina ainda, você mantém vivo o ciclo infinito do amor verdadeiro. E pode voltar a voar."

Stella Florence

quinta-feira, 7 de maio de 2015

E hoje bateu uma nostalgia. Dos escritores que não conheci. Dos livros que ainda não li. Dos instantes que ainda não vivi. Dos amores que ainda não senti. Uma falta gigantesca da alegria fresca de amanhecer e crer num futuro mais bonito. Hoje a saudade me bateu tão forte quanto um soco na cara. Mas a vida não para. E ela é tão rara... _____________________________ Noemi Prates.

Deixe ser
Que eu deixo-te estar
Aprendi com a vida que há certos pontos em que devemos seguir sozinhos. Sem muletas, âncoras ou suportes. Livrar-se das escoras emocionais para atrair a paz. Solidão não é sinal de carência, mas sim de resiliência. Muitas vezes, Deus utiliza a perda para tirar as pedras do nosso caminho, em outras utiliza a dor para provocar ardor em nossos corações. É tempo de mudança. De fortes emoções. Não seremos mais os mesmos.

Noemi Prates.

domingo, 3 de maio de 2015

Eu só queria um colo para encostar minha cabeça e fingir que o mundo lá fora não existe. ___________________________ Clarice Lispector

Todo sentimento te leva em alguma direção...
                                 ..........

                          Fernanda Guiterio
..Se inquietava porque se achava frágil frente a imensidão das coisas... era uma menina que tinha fome de crescer, mas um crescer diferente desses que sempre estamos a ver ... gostava de sentimentos grandiosos, de gestos feitos com um coração que pouco cabia no peito Não queria ser só o instante, queria ser o adiante, sentir-se sempre no a seguir. Queria mais... ser no mais, o tudo...Carregar dentro de si um mundo. Ela queria ser um não ter fim. Ela se sentia um tão pouco para o muito que queria ser ... um segundo, um minuto, uma hora para uma vida inteira pela frente.

Erikah Azzevedo

sábado, 2 de maio de 2015

Será que entre o hiato do amor e da saudade, não há como existir somente a alegria do vivido? _____________________ Frederico Elboni

[...] Outono é a estação em que ocorrem tais crises,
              e em maio, tantas vezes, morremos...

- Carlos Drummond de Andrade
Somos uma mentira muito bem contada, que aos outros talvez alivie e a nós nos aflige. Somos, e ninguém desconfia. Espero apenas que a minha própria verdade me desminta, a tirar-me ileso desta prisão de mim, deste cansaço, desta repetição que não me encontro jamais. Raiz não é o que falta, raiz é o que não encontro.

Guilherme Antunes

sexta-feira, 1 de maio de 2015

"O vento vai dizer, lento o que virá... ________________________ Los Hermanos

"Nesse nosso desbravar
Emanemo-nos amor
Até quando suceder
De silenciar
O que nos trouxe até aqui."

 O Teatro Mágico
"E o meu destino é seguir... é seguir para o Mar,
As imagens perdendo no caminho...
Deixa-me fluir, passar, cantar...
Toda a tristeza dos rios
É não poder parar!"

- Mario Quintana