domingo, 21 de junho de 2015

"Venho dos teus braços. Não sei para onde vou." _______________________ Pablo Neruda

Descanso rápido, volto logo!!

"Meu amor, você me ensinou o significado da noite inteira, sem cobertor." _________________________ Fernando Coelho

Conheça todas as teorias, 
domine todas as técnicas, 
mas ao tocar uma alma humana,
 seja apenas outra alma humana.

__ Carl Jung __
Não posso falar da nossa história de amor, então vou falar de matemática. Não sou formada em matemática, mas sei se uma coisa: existe uma quantidade infinita de números entre 0 e 1. Tem o 0,1 e o 0,12 e o 0,112 e uma infinidade de outros. Obviamente, existe um conjunto ainda maior entre o 0 e o 2, ou entre o 0 e o 1 milhão. Alguns infinitos são maiores que outros. Um escritor de quem costumávamos gostar nos ensinou isso. Há dias, muitos deles, em que fico zangada com o tamanho do meu conjunto ilimitado. Queria mais números do que provavelmente vou ter; (...) Meu amor, você não imagina o tamanho da minha gratidão pelo nosso pequeno infinito. Eu não o trocaria por nada nesse mundo. Você me deu uma eternidade dentro dos nossos dias numerados, e sou muito grata por isso."

- A Culpa é das Estrelas

quinta-feira, 18 de junho de 2015

"O amor pode estar a um gesto de distância - um gesto." _________________________ Laion Monteiro


O pensamento é turbulento, 
o coração é calejado, 
mas o fim da linha é um sonho alcançado 
e a ousadia é a força motriz, 
e eu sei que não teria paz 
um minuto sequer na vida se 
desistisse de acreditar e 
seguir assim.


Yohana SanFer
"O amor só revela seus mais altos segredos e maravilhas àquele que é capaz de entrega total e de fidelidade ao sentimento. Pelo fato de isso ser muito difícil, poucos mortais podem orgulhar-se de tê-lo conseguido. Mas, por ser o amor devotado e fiel o mais belo, nunca se deveria procurar o que pode torná-lo fácil. Alguém que se apavora e recua diante da dificuldade do amor é péssimo cavaleiro de sua amada. O amor é como Deus: ambos só se revelam aos seus mais bravos cavaleiros."

Carl Gustav Jung
Obras Completas 10/3; 232.


quarta-feira, 17 de junho de 2015

"A previsão é que com a chegada de uma nova frente fria o céu fique nublado e haja trovoadas esparsas... Contudo, o tempo ainda é o melhor remédio." ______________________ Marla de Queiroz

(...)"Porque teu olhar é farol
Onde nascem as brisas, aquarelas úmidas de êxtases;
És o sossego caminhante.

Fernanda Fraga
Racionalizaram o amor. Desprezaram seus meios de conter os medos. Popularizaram a dor. Adormeceram os modos de gentileza, que natureza? A pureza onde está? Quem me salvará de mim mesma? Que eu já sei não sou perfeita, mas tenho no peito muito amor pra dar. Será que a minha sina é não saber o que é amar? Será que esse menino sabe o tanto do quanto eu tenho pra dar? Será??? Será meu Deus que o sofrimento é não amar? Será talvez que a estupidez é essa surdez de não escutar O coração que bate e sabe que o prazer é perdoar. Quem quer amar?


João Nunes- Adaptado

terça-feira, 16 de junho de 2015

Hoje estou melancólica e suspirosa, choveu muito, a água invadiu este porão de lembranças, bóiam na enxurrada a caminho do rio. Deixo que naveguem, pois não as perderei. O rio é dentro de mim. _____________________________ | Adélia Prado |

No fim de contas são poucas as palavras
que nos doem de verdade, e muito poucas
as que conseguem alegrar a alma.
E são também muito poucas as pessoas
que nos fazem bater o coração, e menos
ainda com o correr do tempo.
No fim de contas, são pouquíssimas as coisas
que na verdade importam nesta vida:
poder amar alguém e ser amado,
não morrer depois dos nossos filhos.

Amalia Bautista
Mundo? A Saudade não conhece tal conceito,
tal lugar. A Saudade vive o eternamente,
 Dentro. Dentro não é lugar: é Pensamento,
 Sentimento; numa palavra Ser,
e conjuga-se com o verbo Amar.


| Emílio Miranda |



segunda-feira, 15 de junho de 2015

(...) e quando falo da verdade, não penso em felicidade. Penso em desistir dessas tentativas de mais-um-pouco: mais um pouco de conhecimento, mais um pouco de tempo, mais um pouco de calma. _______________________ Fernanda Young

Palavra nenhuma tem sentido se não
 houverem atitudes que se
 sobressaiam entre elas.


Bibiana Benites
“enquanto eu te fazia à minha imagem, tu me fazias à tua”, pensou então com auxílio da saudade. “dei-te o nome de José para te dar um nome que te servisse ao mesmo tempo de alma. e tu — como saber jamais que nome me deste? quanto me amaste mais do que te amei”, refletiu curioso. “nós nos compreendíamos demais, tu com o nome humano que te dei, eu com o nome que me deste e que nunca pronunciaste senão com o olhar insistente”, pensou o homem sorrindo com carinho, livre agora de se lembrar à vontade.


- Clarice Lispector in O crime do professor de matemática pertencente a obra “Laços de Família”

sábado, 13 de junho de 2015

(...) de que fragilidade ao certo se faz a desistência? _____________________________ Pedro Chagas Freitas

Porque somos feitos de memórias, de pessoas,
de experiências, de noites agradáveis,
e também de perdas e frustrações.

Mabê
''Agora, eu só quero te pedir desculpas por tentar adiar nossos desencontros, por tentar te querer sem ao menos ter você por aqui, e me doar sem pensar na sua disponibilidade. Quero te pedir desculpas por todos os sorrisos que te tirei por egoísmo e dizer que aceitei o amor depois de tanto tentar te encontrar. Aceitei a escolha que cê fez. Você escolheu fugir de mim, da mesma forma que assumi o papel de insistir a te procurar todas as vezes que decidiu partir. Eu quero te dizer que foi um erro o que fiz com você e comigo. Quero te falar que o amor não se pede, nem se implora, entende? Numa dessas esquinas tentando te encontrar, me encontrei.''


Iande Albuquerque

sexta-feira, 12 de junho de 2015

"Há tanta paixão silenciosa em teus olhos, e há tanta canção em teus suspiros, e há tanta valsa em tuas pálpebras, e há tantas invenções de flores raras em teu coração, e há tantos momentos de favos em tua boca, e há tantos corações imitando o teu, e há tanta nervura de promessas em teus ombros, e há tanto de ti em tudo o que existe!" _________________________________ Fernando Coelho

amar 
é precisar morrer mais tarde 
é querer chegar mais cedo.

amar
é atenuar as pressas 
e sentir pressas.

G. Antunes
Maria carregava um camafeu na gola do vestido. Era a porta para o jardim dos namorados. Todo dia, quando voltava de sua plantação de faces leves, retida em fotografias dos trigais, dos arrozais, dos milharais, das ramas de centeio (tudo regado com horizonte), Maria queria mostrar pra alguém. Um e outros tinham pressa, para o nada do fazer. Então, Maria abria a varanda carregada de borboletas virgens e umedecida de esperas no tal dia dos namorados. Somente nesse dia, parece, o pessoal de sua região acordava mais disposto pra amar, ou arrependido porque não amava de outrora. Maria se arregaçava de batom a mostrar que vivia a vida amando, que nada apodrece com o amor, que a margem enlaça o rio, que se escreve sobre a água, que até a chuva horizontal se torna, para quem ama se afogar deitado no amor. O amor fala trastes, roupas, sexo, lápis, filhos, rádio tocando no escuro dentro de um pé de pau, cantos de pintassilgos entre os dedos vagos, na ribanceira de um beijo curvado. Maria só quer dizer que o dia dos namorados vai ser ainda amanhã, e depois, e depois, e depois...ela até contratou um poeta que corre as ruas, capengando de rasuras, pra cima e pra baixo, avisando isso num megafone de letras.

                 
     Feliz dia dos Namorados

quinta-feira, 11 de junho de 2015

"Palavras soltas ao vento, mal da tempo de sentir... no brilho do sol ou no encanto da lua, frases a ruir, como terra, como pó... tenho dó. Quero letras fazendo pouso em mim" ___________________________ | Dulce Miller |

O céu que me apaixona os olhos traz
uma nostalgia não vivida.
Uma prece que os dias corram devagar e
 que corramos juntos em direção aos nossos sonhos.

Mel
Parecia tão pouco, mas era tudo e mais um tantão que não cabe aqui...Ela só queria um pedacinho de céu pra chamar de seu, cuidar e cultivar como um jardim iluminado de estrelas a brilhar e trilhar pelo caminho, por onde ela fosse. Seria carinho, amizade, e tudo que de melhor coubesse numa canção ou quem sabe, numa oração. Mas no caminhar do destino ela descobriu que o seu pedacinho de céu tão amado era terra de ninguém... ela não sabia como arar, nem como adubo colocar para dele cuidar. E quando o céu se transforma em terra, o melhor a fazer é olhar para o horizonte numa busca constante, sem medo do que virá. Pois é certo que virá. Então hoje ela falava sobre o tempo com o espelho, mas ele replicou suas ideias e seu descontrole, disse que não se pode esperar pelo que nunca chegará, nem por pensamento, muito menos com sentimento. Ela acreditou em tudo que ouviu, a consciência consentiu e ela se permitiu somente ser, sem jamais (nunca mais) pensar em ter. Nem céu, nem inferno, muito menos terra de ninguém. Só precisava de tempo e este sim, era amigo dela. E falando em tempo, indagava... "meu Deus ontem mesmo era Natal, era Carnaval, a Páscoa já se foi... e agora já estamos praticamente no meio do ano... até quando vou olhar para o céu e pensar no pedacinho que nunca existiu além dos descaminhos do meu coração? Será que tudo, tudo mesmo, foi em vão?" 

segunda-feira, 8 de junho de 2015

"O principal fica sempre protegido. Entre parênteses ou dentro do peito". _____________________________ Clarissa Corrêa

" Acalma o coração e descansa um pouco.
 A noite nos mostra que são de pequenas
 luzes que conseguimos vencer a escuridão."


(Rachel Carvalho)
Maria tem uma vida de surpresas. Guardadora de achados e perdidos inimagináveis, espera que as flores falem. Cuida de uma avenida de coisas inesperadas. Um lugar onde alguém, alguma musa ajoelhada, esqueceu um poema em voz alta. O único endereço onde borboletas retornam sempre que precisam encontrar os casulos esmaecidos. Nesta passagem de arroios e crinas da noite, é anfitriã de lágrimas nascidas passarinhos. De repente, acode uma gota d´água muda, que nunca molhou ninguém, ou aponta o lago para um cisne que perdeu o rumo. De vez em quando, formam-se filas de gente que vem atrás de suas cicatrizes de guerra, uma foto rota ou um escapulário de vinagre, de alguém desaparecido. Tudo acontece no lugar onde Maria socorre o incompreensível, para os comuns. Agora, por exemplo, apaixonada também, porque tem um amor viajeiro, põe-se a catalogar envelopes cheios de aceno, no lugar de cartas, e lacra, alguns, para que suspiros em fá sustenido não escapem e sejam massacrados pela evaporação da memória. 


Fernando coelho

sexta-feira, 5 de junho de 2015

“Ame a pessoa que te viu quando você se sentia invisível.” _________________________ Aglair Grein

"Quando a tarde contar poesias
e o respiro de leve, pelo vento amenizar saudades
vou contar você nas coisas simples que vivo.
Vou contar você nas horas que antecedem o esconder do sol

Foi como estar dentro do abraço de antes,
 ao qual nunca deixei de pertencer,
 metade-inteira-fraqueza-inquietante…

 Tatiana Kielberman
e vou viver você em cada instante que eu te pensar.
Quando no meu jardim o inseto dominar vontades
e a vida pulsar no instante seguinte, é em mim que você estará."


quarta-feira, 3 de junho de 2015

"Assovia o vento dentro de mim. Estou despida. Dona de nada, dona de ninguém, nem mesmo dona de minhas certezas, sou minha cara contra o vento, a contravento, e sou o vento que bate em minha cara." _________________________ (Eduardo Galeano)- adaptado

Existe um tempo em que o amor amadurece. 
Chico Buarque chamou esse tempo de 
"Tempo da Delicadeza",
 e definiu lindamente como 
o "tempo que refaz o que desfez".

Fabíola Simões
Permanecer na estabilidade diante das provações do tempo é aceitar o amor como um emaranhado de angústias, intimidade e gentilezas. É compreender a contradição que existe no que gera prazer e dor. É ser paciente com o tempo de esperas, em que o amor atravessa o deserto do tédio e da rotina. É acreditar que ainda há o que se esperar mesmo quando esgotaram-se todas as possibilidades.

Fabíola Simões

segunda-feira, 1 de junho de 2015

"A Flor mais Bela, é aquela que nasce na Adversidade". _________________________ Fan Zhou - Mulan

                  "Falar de amor
             as vezes é complicado,
                      mas outras
                     é totalmente
                       inevitável"
                — David Alves Mendes
Racionalizaram o amor. Desprezaram seus meios de conter os medos. Popularizaram a dor. Adormeceram os modos de gentileza, que natureza? A pureza onde está? Quem me salvará de mim mesmo? Que eu já sei não sou perfeita, mas tenho no peito muito amor pra dar. Será que a minha sina é não saber o que é amar? Será que esse menino sabe o tanto do quanto eu tenho pra dar? Será??? Será meu Deus que o sofrimento é não amar? Será talvez que a estupidez é essa surdez de não escutar o coração que bate e sabe que o prazer é perdoar. Quem quer amar?


João Nunes- Adaptado