quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Está frio, mas o que me incomoda mesmo, é o inverno dentro das pessoas. ✭ Eliana Conti

A gente arruma o quarto, a casa e a vida para a pessoa que chegar não encontrar a bagunça que existia, toda a bagagem pesada de decepções e frustrações. Arruma o peito para que se torne um abrigo seguro, abre a porta e a pessoa entra devagar, quase sem fazer barulho. O peito oco, só ouve os sons do eco ao pisar no chão. Vai conquistando o espaço, vai se ajeitando em um canto até que ocupe todo o nosso peito.É assim que as pessoas entram na nossa vida, como quem não quer nada, como quem está só de passagem. E você com medo, com receio do que pode acontecer se ela bagunçar tudo que, com muito trabalho, você organizou. Mas deixa ficar, só porque ainda tem fé e esperança no amor. Naquele amor novo, quentinho de todo início. Vem o esforço da conquista, o cuidado e todo o carinho. E você fica pedindo baixinho:- Que só dessa vez dê certo, só dessa vez seja diferente, só dessa vez fique.Mas a gente tem que aprender que não existe o pra sempre. As pessoas ficam na nossa vida o tempo que precisam ficar, tudo com algum propósito. Se não é benção, é lição. Por isso que temos que viver cada dia como se fosse o último, cuidar e demonstrar o quanto pudermos, porque nunca sabemos quando será o último beijo, a última mensagem de boa noite, o último abraço, afeto e carinho. Eu não sei lidar com o fato das pessoas saírem da minha vida. Aceitação demora. É difícil! Por mim, eu as colocava em um potinho ou segurava pela perna. Amarrava no pé da mesa ou trancava a porta pra elas não irem embora. Mas as pessoas são livres por natureza e, a maior liberdade é quando a pessoa pode ir, é livre e ainda assim escolhe ficar ao seu lado. Escolhe você entre todos os milhares de ninhos que existem no mundo. E ser escolhida por alguém é a melhor parte da reciprocidade. Eu não espero ser escolhida e nem escolho. Na hora certa todo passarinho encontra o seu ninho. Mas seria maravilhoso que me escolhessem, afinal eu nunca fui a pessoa que escolhem, sempre fui a que é deixada de lado. No entanto eu não deixo isso me atormentar, porque eu me escolho todos os dias e esse é o meu maior ato de coragem. Sigo a vida como quem vive um dia por vez, com o coração na mão e os sentimentos a prova. E se quer saber? Não me arrependo de nada, sempre fico com a sensação que da minha parte eu tentei de todas as formas. E agir com o coração é você ser sincera consigo e com o outro. Quem quiser usar a razão que use, mas quem usa nunca vai sentir as borboletas que habitam o meu estômago a cada vez que lembro com carinho de um sorriso, aquele mesmo sorriso que deixou os meus olhos brilharem e aquela voz que arrepia cada parte do meu corpo. Por alguns tempos as borboletas voam, mas em outros elas voltam e fazem morada dentro de mim. É o ciclo de conhecer e desconhecer pessoas. Entra alguém e sai alguém. Entretanto eu queria mesmo era alguém que ficasse. Que ficasse por mim, por um nós, pelos planos e toda uma vida que se idealize em viver ao lado de alguém. Escolher alguém, entre tantos, é o maior ato de coragem.

♡ Luana Kimbelly

Nenhum comentário:

Postar um comentário