sexta-feira, 6 de novembro de 2015

"...não sou tola a ponto de descartar a tão gostosa possibilidade de amar. Só fico na espreita, pensando em como o vento irá soprar amanhã e trazer a solução do meu sorriso." ________________________

O verbo amar não 

se conjuga sem você.

- Tom Jobim
Eu que escrevo e, brinco de amar o impossível, sei que o meu amor é perene. Mas para os que brincam de desacreditar no amor, esses pouco sabem sobre como o amor está presente na vida de todos e, talvez, mais fortemente quando nos esforçamos para ele estar ausente. Simples ânsia essa de amar e encontrar um sorriso vizinho que vire amor maior e enlouqueça a alma em busca do incerto. Sem interrogações, sem definições, sem dizeres estipulados, sem tamanhos ou mensurações tangíveis.
Nossos limites são ilusões, são amores que se foram e nem por isso deixaram de ser amores. Amor-gangorra, que vai e nem sempre vem, mas que, um dia, nos dará a graça da sua aparição alegre a ponto de transformar amores repentinos em um lindo pedaço de eternidade.

Frederico Elbone