terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Mas, ainda que os desencontros se sobressaíssem diante de toda aquela história, ainda que não tivéssemos estrutura física, psicológica e emocional para lidarmos com o turbilhão que foi o nosso durante, ainda assim, soubemos resgatar a boniteza do que ainda significávamos um para o outro. Da centelha, tomamos impulso. E ali encontramos uma nova possibilidade, sem resistências. Era um estar gratuito. Nos queríamos mais que todos os quereres de antes. E isso bastava. ___________________________ Bibiana Benites

Assim que deixei a vida tornar pequenos
acontecimentos  algo singularmente novo,
 passei a ter uma harmonia mais inteira comigo
.

B. Benites
Talvez porque ela seja independente, porque toma conta do recado sem ter que pedir a ajuda a ninguém. Talvez tenha grandes sonhos, suportados por um coração que por vezes é maior do que o corpo que o carrega. Talvez alguns a vejam como fria e distante, mas ela chama-lhe sanidade. Talvez a vejam sempre com a cabeça na lua e focada nos seus objetivos que, não se dá conta quando o amor bate à porta. Talvez ela esteja tão habituada a ter controle de tudo o que está ao seu redor, que a simples ideia de se entregar um bocado a quem quer seja lhe provoque tremores. Talvez debaixo de toda a confiança e sucesso que demonstra, ela seja bastante insegura. Não é perceptível à primeira vista, nem será para todos mas para os que conseguem chegar ao pé dela, entendem que precisa de uma quantidade significativa de tempo sozinha. Claro que tem família e amigos próximos com quem gosta de partilhar o seu tempo, não é uma pária ou anti-social, mas busca incessantemente o seu tempo de reflexão isolada, para se centrar e sentir inteira. Não é do tipo de “cair de amores” por qualquer um, mas isso não a impede de tentar de procurar esse momento único, que lhe pode elevar o corpo e a mente a um estado que ela não compreende, que só lhe tráz confusão e não sabe lidar quando lhe querem dar amor. De qualquer forma não é uma causa perdida, só necessita de uma abordagem mais sensitiva, para aquele coração enjaulado. Então como é que alguém se pode relacionar assim? Pode ser pelo lado Paciente, não é fácil para ela mergulhar de cabeça em algo que se possa sequer parecer com uma relação séria. Se ela passa tempo com ele, é porque já tirou bastante tempo para avaliar a situação e uma grande dose de coragem para aceitar os seus primeiros passos. Chegará o dia em que ela vai pedir para ir mais devagar, depois de ter passado uma noite sem pregar olho, a auto-criticar pela sua inabilidade de ter carregado nos travões mais cedo, avaliar o laços que já foram criados e incitar-se para saltar rapidamente da relação antes que seja tarde... Pode ser pela abertura à Conversa, porque como passa tanto tempo com as suas ideias, assume que ninguém a compreende e que as suas opiniões são muito intensas para os outros. Raramente partilha o que lhe vai na cabeça, para não ser considerada dramática, filosófica ou simplesmente esquisita. Mas no fundo valoriza conversas profundas, partilha de ideias e aprendizagem e não sabe o quanto isso a torna BONITA para quem a saiba ouvir balbuciar sem parar sobre um tema que a apaixonou. Pode ser pelo Apoio. Parte da luta interior desta mulher é entre o compromisso que tem com os seus sonhos e objectivos e deixar felizes aqueles por quem tem carinho. Não é algo que seja intencional, ela só é determinada no que procura e sentir-se culpada por não conseguir passar tempo com ele ou não conseguir realizar algum tipo de meta, só lhe prova a incapacidade de estabelecer laços como os comuns dos mortais. Assim sendo apoiem-na, encorajem-na a prosseguir os seus objectivos, que ela vai devolver na mesma medida a quem a apoia, com um coração tão apaixonado, quanto lutador! Não sejam 2 metades de um todo, mas dois todos ainda maiores. Ela pode ser independente e ter dificuldade em depender de outros embora confie neles, mas não esperem depender da presença dela, tanto quanto ela espera depender de alguém para viver. Só funcionará se se relacionar com alguém completo, que demonstre amor, aceite e respeite a sua independência como uma característica e não defeito. Passar tempo sozinhos e afastados, é tão importante nesta relação, como a fazer sentir única e amada quando estão juntos e quanto estão juntos, é estar JUNTOS mesmo! Se ela tiver amor para dar (e tem mesmo muito), pode ser um bocado estranha a demonstra-lo ao inicio, mas só precisará de tempo, tempo para perceber as coisas por ela mesmo, para entender como funcionam com outro e acima de tudo, entender bem lá no fundo que ela só quer ser amada como o resto das pessoas, à sua maneira talvez…

©Ricardo M.

Nenhum comentário:

Postar um comentário