sexta-feira, 5 de setembro de 2014

"(...) Meus silêncios. Há tempos, não os ouço. Preciso tocá-los, senti-los, afagá-los. Ficarmos a sós, deitados sobre as horas, num lugar, onde nem o vento consiga nos escutar." _______________________ Bruno de Paula

"Aprenda a confiar no que está acontecendo.
 Se há silêncio, deixa-o aumentar,
algo surgirá. Se há tempestade,
deixa-a rugir, se acalmará."

Lao Tsé
Nossos olhos acomodaram-se numa alcova brilhante, luz de dois ângulos! Matizes além dos olhares circunspetos. A forma dourada trazia escrito seu nome no peito, presente em curvas e estradas encontradas. É o amor! Já esta escrito que transcende ao atingir dois seres no mesmo ponto! E não temos mais necessidade de possuir ninguém. Estranhos rabiscos dos poetas! É que se eu disser que te amo por algum trabalho extraordinário, pode soar em “terceiras intenções” o que sai tão naturalmente das profundidades do coração! É que o egoísmo enjaula por todos os poros a Senhorita dos meus sonhos! Ela tinha um olhar estrelado, capaz de ser feliz reunindo algumas pontas, sem ter que tê-la inteira! Seus passos eram nobres e conquanto a respeitasse na sua doçura receberia em maturidade a realeza da felicidade! (...) Mas sou tão cheias de defeitos. Tu és capaz de lapidar o ouro, e eu devolvo com essas singelas palavras o que te inspirará em nossas esculturas. E tudo acontece num ciclo harmônico, e cresce a cada dia, até ser uma estrela com muitas e muitas pontas a mais! Estarei observando, mesmo porque amar é isso também, é admirar as luzes das estrelas!


Ives Vietro